quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Entrevista: Carol Sabar

Tan-tan-na-nan! Aqui estou eu, conforme o prometido, apresentando a 1ª entrevista do CDB... E a autora misteriosa que concedeu uma fofa e humorada entrevista foi a querida Carol Sabar. *-* Aos que não reconhecem esse nome, ela é a autora de Como (quase) namorei Robert Pattinson (eu fiz uma resenha desse livro aqui, quem lembra?). Enfim, é com muito orgulho que exibo a entrevista:


1 – Você é engenheira por formação. Como decidiu se tornar escritora também? Não é difícil conciliar as duas profissões?

Sim, sou engenheira! Escrever não foi uma decisão. Simplesmente aconteceu, faz parte de mim. Mas realmente não é fácil conciliar duas áreas tão diferentes. Encaro a escrita como uma diversão, um hobby, uma forma de relaxar depois de um dia cheio de “vida real”. 

2 – O que você diria para alguém que tem o sonho de ser escritor (a)?

A dica que eu dou é: escreva muito, leia muito. Não existe mágica! Não dá para imaginar um guitarrista dizendo “Odeio ouvir música”, dá? Eu desconheço um escritor que não goste de ler. Em minha opinião, escrever é uma questão de amor, sim, mas principalmente de prática. Quanto mais se faz, melhor se faz. 

3 – A ideia de escrever esse livro veio enquanto você estava presa no trânsito. Além disso, você teve outras inspirações para escrever essa história? 

Tive uma ideia atrás da outra e foi uma verdadeira loucura (muito trabalho mesmo!) conciliar todas elas, organizar os pensamentos sem perder o fio da meada. 

4 – Você escreve muito bem e imagino que toda a afinidade que você possui com as palavras venha do gosto pela leitura. Estou certa? Se sim, quais livros você mais gosta de ler? Existe alguma outra série/saga pela qual você se interessa além de Crepúsculo? 

Obrigada! Sempre amei ler e não existe meio melhor (e mais agradável) de aprender a Língua Portuguesa do que viver cercada de livros. Eu adoro a literatura para jovens adultos. Amo os livros da Paula Pimenta, da Meg Cabot... Além de Harry Potter, é claro. 

5 – Soube que você já tem outro livro pronto. Será que você pode falar um pouco sobre o que conta a história? E quando os leitores terão acesso a ela? 

Meu segundo livro é outra comédia romântica, estilo chick-lit, mas ainda não sei quando será lançado. O que posso dizer é que o casal protagonista é super fofo: Bia e Guga. A Bia é certinha, inocente e, ao contrário da Duda que é toda sortuda, Bia se afogou numa maré de azar, nada dá certo na vida dela, coitadinha (só para você ter uma ideia, ela está desempregada, cheia de dívidas e o pior de tudo: tem 25 anos e nunca teve um namorado). E o Guga... Ai, meu Deus, o Guga... É o personagem mais intenso que inventei até hoje. Vocês vão ver. 

6 – Além disso, você já pensou na possibilidade de escrever uma continuação para Como (quase) namorei Robert Pattinson? 

Sim! Já tracei um roteiro para a continuação, mas ainda não comecei a escrever. A ideia agora é que a história se passe no Rio de Janeiro. A Duda ainda vai aprontar muito. Até o Cristo Redentor vai dizer “Ai, meu Deus!” 

7 – Agora, falando mais especificamente em assuntos relacionados a Como (quase) namorei Robert Pattinson... Além de ser fã da saga Crepúsculo, existem outras características semelhantes entre você e a Duda? 

A Duda é muito diferente de mim. Eu não consigo mentir, por exemplo. E a Duda vive inventando umas mentirinhas, escapando pelas beiradas, se safando das situações mais estapafúrdias (sempre quebrando a cara no fim). Mas temos em comum os pensamentos atrapalhados que vão de “Ai, que fome!” para “Gente, vesti a blusa do avesso” no mesmo segundo. 

8 – A maior parte da história do livro se passa em Nova York. Você já esteve lá? Tem algum lugar especial que você amou conhecer? 

Fui para Nova York estudar inglês, como a Duda. Nova York é uma cidade ímpar, fantástica. Amo o Central Park e a árvore de Natal do Rockefeller Center. 

9 – Se você fosse a um programa do Late Show, quais famosos gostaria de ver sendo entrevistados? 

Eu sou completamente alucinada pelo John Mayer! E seria ele (sem dúvida!) minha primeira opção. Além do John Mayer, J.K. Rowling, Paul McCartney, Stephenie Meyer e Robert Pattinson. 

10 – Você criou dois garotos dos sonhos nesse livro: o Pablo e o Miguel. Os leitores já sabem quem a Duda escolheu, mas eu gostaria de saber: qual dos dois você escolheria se pudesse? 

Ai, gente, que difícil! Acho que fico com o meu namorado, que tem a fofura do Pablo e as palavras arrebatadoras do Miguel. Acho que mandei bem nessa, fala sério! (risos)



É, chegamos ao final, infelizmente. Claro que se dependesse de mim, a entrevista teria ficado ainda maior, mas fiquei com pena de abusar tanto da boa vontade da Carol e também de vocês (que leram essa entrevista). Portanto, parei por aqui. De qualquer modo, fico muito feliz e honrada em poder exibir essa entrevista para todos vocês e gostaria de agradecer mais uma vez a atenciosa escritora, Carol Sabar, que concordou em responder as minhas perguntas mesmo estando com a agenda lotada por causa da Bienal, do trabalho e tudo o mais. Então, obrigada!

E aí, o que acharam da entrevista? Quem ainda não leu o livro ficou com vontade de ler? E quem já leu esse está ansiosa pelo próximo? Eu estou! rs Vou manter os dedos cruzados para ter acesso ao próximo livro logo! 



Louise.

4 comentários:

  1. Nunca li, mas fiquei extremamente curiosa!
    Deve ser hilario esse livro né? hehehe

    Beijo, camila

    http://blogadoravelparanoia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é muito engraçado, sim. (: Beijo!

      Excluir
  2. Éa primeira vez que estou visitando o blog e estou achando ele muito bom, vou seguir :D
    Já ouvi falar muito bem desse livro e vou comprar ainda nesse mês :)
    Adorei a entrevista, ela é uma fofa ^.^
    bjsss ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz em saber que gostou!
      Assim que ler o livro, fala pra mim o que você achou, tá?
      Ela realmente é muito fofa. *-* Beijo

      Excluir